quarta-feira, 1 de março de 2017

Parceria Quero Bolsa




O Quero Bolsa é a associação voltada à obtenção de bolsas de estudo que mais cresce no Brasil. Foi fundada em janeiro de 2012 e hoje é a principal referência no mercado, tornando o sistema de captação de alunos, mais eficaz e menos burocrático.


No site QUERO BOLSA, estão disponíveis milhares de bolsas que podem ser obtidas na hora pelo estudante. Com mais de 2 milhões de cadastrados, ultrapassando 1.5 milhões de visitas diárias, o Quero Bolsa, além de disponibilizar bolsas de grandes universidades do país, o aluno ainda pode negociar o seu desconto, informando a faculdade e curso que deseja fazer e o quanto pode pagar de mensalidade. 



E ainda, o sistema pode gerar automaticamente novas propostas de bolsas, de acordo com o perfil do candidato.

UY Scuti: A maior estrela do Universo


A estrela com o maior raio conhecido atualmente é a UY Scuti, uma supergigante vermelha brilhante variável na constelação de Scutum (Escudo).

Situada a cerca de 9.500 anos-luz da Terra e composta de hidrogênio, hélio e outros elementos mais pesados ​​semelhantes à composição química do sol, a estrela tem um raio 1.708 vezes maior que o nosso astro-rei, o que dá cerca de 1,2 bilhões dekm, com uma circunferência de 7,5 bilhões de km.

Para colocar isso em perspectiva, um avião comercial levaria mais ou menos 950 anos para voar em torno dela e a luz levaria 6 horas e 55 minutos para fazer o mesmo percurso. Se estivesse no lugar do nosso sol, sua superfície estaria em algum lugar entre as órbitas de Júpiter e Saturno – a Terra, obviamente, seria engolida.

Apesar de ser grande, ela não é um peso-pesado no Universo, ela tem aproximadamente uma massa entre 20 a 40 vezes maior do que o nosso Sol.

A Estrela com maior massa do Universo


A rainha dos pesos pesados ​​é a estrela R136a1, localizada na Grande Nuvem de Magalhães, a cerca de 165 mil anos-luz de distância.

Esta estrela, uma esfera de hidrogênio, hélio e elementos mais pesados ​​com cerca de metade da quantidade do sol, tem apenas 35 vezes o raio da nossa estrela, mas é 265 vezes mais massiva.

Isso fica ainda mais impressionante se for levado em conta que ela já perdeu 55 massas solares durante o seu tempo de vida 1,5 milhão anos. A R136a1 deve "viver" por mais 500 mil anos.

Essa estrela perde massa a uma taxa de 3,21 × 10¹⁸kg/s – o equivalente a uma Terra a cada 22 dias.

A R136a1 irradia nove milhões de vezes mais energia do que o nosso sol, e pareceria 94 mil vezes mais brilhante aos nossos olhos se o substituísse – ela também é a estrela mais luminosa já descoberta.

Nebulosa de Emissão IC 4628



Ao sul de Antares, na constelação de Escorpião que é rica em nebulosa, encontra-se a nebulosa de emissão IC 4628 ou conhecida com a Nebulosa do Camarão.

A nebulosa com estas estrelas quentes, maciças e jovens com milhões de anos, irradiam a nebulosa com luz ultravioleta invisível, eliminando elétrons de átomos. Os elétrons eventualmente se recombinam com os átomos para produzir o brilho nebuloso visível, dominado pela emissão vermelha de hidrogênio.

A uma distância estimada de 6.000 anos-luz, a região mostrada é de cerca de 250 anos-luz de diâmetro, abrangendo mais de três luas cheias no céu.

Nebulosa planetária M2-9





As estrelas costumam criar suas exibições mais artísticas quando elas morrem.

No caso de estrelas de baixa massa como o nosso Sol e M2-9, as estrelas se transformam, de estrelas normais em anãs brancas, despejando seus envelopes gasosos exteriores. O gás gasto frequentemente forma uma exibição impressionante chamada nebulosa planetária que desaparece gradualmente ao longo de milhares de anos.

M2-9, uma nebulosa planetária da borboleta, está a 2.100 anos-luz afastado. No centro, duas estrelas orbitam dentro de um disco gasoso com a distância de 10 vezes a órbita de Plutão. Muita coisa permanece desconhecido sobre os processos físicos que causam as nebulosas planetárias.

A gravidade é a mais fraca de todas as forças fundamentais





Pense no esforço que você faz para pegar o controle da TV. É pouco, certo?

O que faz com que ela seja tão diferente? De acordo com a teoria das cordas, a gravidade seria fraca porque o universo teria mais que as três dimensões conhecidas, e essa força “vazaria” para outras dimensões, fazendo com que só conseguíssemos sentir uma parte de sua força total.

Como seriam as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro sem poluição?

Sem poluição atmosférica e luminosa as cidades seriam exatamente assim nessas belas imagens a seguir:

Rio de Janeiro

São Paulo

Quem sabe um dia, não é!

Como são as Estrelas de Nêutrons



Em uma explosão de supernova, as camadas mais externas do astro, já no fim de sua vida, são expulsas; sua região central se contrai e faz com que os prótons(+) se juntem com os elétrons(-) e formem nêutrons. 

É assim que nasce uma Estrela de Nêutrons, astro que possui o maior campo magnético conhecido no universo – trilhões de vezes mais fortes que o da Terra. A bela estrela é também extremamente densa: apesar de possuir massa duas vezes maior que o Sol, seu diâmetro não ultrapassa 20 km.

Para se ter noção, um pedacinho da estrela do tamanho de um cubo de açúcar equivaleria a mais de 1 bilhão de toneladas.

Devido ao seu tamanho diminuto, essas estrelas giram extremamente rápido – podem fazer várias rotações por segundo.

Yuri Gagarin nunca disse: "A Terra é Azul"


Yuri Alekseievitch Gagarin foi um cosmonauta soviético e o primeiro homem a ultrapassar a atmosfera terrestre e chegar no espaço, em 12 de abril de 1961.
Durante seu VOO, Gagárin NUNCA disse a célebre frase – A TERRA É AZUL, o que ele realmente disse:
— O Céu é negro, e no bordo da Terra, no bordo do horizonte, existe um lindo halo azul que se torna mais escuro à medida que se afasta da Terra. 

O Telescópio James Webb será lançado em 2018





O telescópio James Webb, demorou cerca de 20 anos para ficar totalmente pronto e custou mais de 27 bilhões de reais (8.8 bilhões de dólares !!!)

O sucessor do Hubble, foi motivo de polêmica no orçamento público americano, e não é à toa.

100 vezes mais sensível que seu antecessor, ele é o projeto mais avançado, arriscado e complicado já desenvolvido pela agência espacial americana.

Após o lançamento, agendado para outubro de 2018, o telescópio espacial será capaz de observar a infância do universo, a formação de galáxias e a atmosfera de exoplanetas — seus dados representarão, sem dúvida, uma revolução na astronomia.

Imagens do Eclipse Parcial no Brasil - Uruguai - Chile - Argentina

No Brasil, a Lua encobriu quase metade do Sol, especificamente no Rio grande do Sul, que está no vídeo a seguir:




O Brasil terá a oportunidade de visualizar outro fenômeno solar ainda este ano. Em 21 de agosto, haverá um eclipse total do Sol, mas que poderá ser visto parcialmente somente na região Norte e Nordeste.


Time-Lapse do Eclipse em Coyhaique no Chile




O Anel de fogo - Chile





Foto tirada do eclipse entre muitas nuvens em Catanduva-SP

(Feita por: Edgar Luiz)






Fase de anulação do eclipse, em uma captura da transmissão da Slooh a partir de Coyhaique, no Chile.





Foto tirada do eclipse solar em Campinas-SP

(Feita por: Gisele Souza)




O eclipse deste domingo visto em meio a muitas nuvens na capital paulista.

(Foto: Charles Sholl/Futura Press/Estadão)







Foto tirada em São José-SC

(Feita por: Lourival)







Foto do eclipse em São Paulo-SP

(Feita por: Cristopher Rodrigues)






Mesmo com muitas nuvens o eclipse solar pode ser visto por moradores de Nova Veneza, em Goiás.

(Foto: Arquivo Pessoal/Kamonn Cardoso)







Foto tirada em Montevideo em Uruguai(Foto: Carlos Pérez)



Eclipse visto em uma captura da transmissão da Slooh a partir de Montevidéu, no Uruguai.

A Fada da Nebulosa da Águia


A imagem mostra uma parte da Nebulosa da Águia, e não é preciso de imaginação muito fértil para perceber que a estrutura lembra uma fada.
As esculturas de poeira da Nebulosa da Águia estão evaporando. Poderosas radiações provenientes das estrelas estão varrendo essas montanhas cósmicas e os pilares que restam podem ser imaginados como figuras místicas.
Essa "fada espacial" tem 10 anos-luz de altura.
A grandiosa Nebulosa da Águia, a M16, é na verdade uma gigantesca concha de gás em evaporação e poeira localizada dentro de uma cavidade em crescimento preenchida com um espetacular berçário estelar, atualmente formado por um aglomerado aberto de estrelas.
A imagem teve cores alteradas com fins científicos e foi lançada em 2005, como parte da celebração do 15º aniversário do lançamento do Telescópio Espacial Hubble.