domingo, 31 de julho de 2016

O nosso Universo está a caminho da morte?

Geração de energia no Universo

Uma equipe internacional de astrônomos completou uma análise de mais de 200.000 galáxias, medindo a energia gerada numa enorme região do espaço com a maior precisão já obtida até hoje.
Com os dados, eles fizeram a melhor estimativa da produção de energia no Universo - ao menos na parte do Universo mais próxima de nós.

E concluíram que a energia produzida nesta região do Universo é hoje apenas cerca da metade da energia produzida há dois bilhões de anos.

E como este enfraquecimento ocorre em todos os comprimentos de onda medidos - 21 ao todo, do ultravioleta ao infravermelho longínquo -, a equipe concluiu que o Universo está morrendo lentamente.

A queda na produção de energia das galáxias foi registrada em 21 comprimentos de onda. [Imagem: ICRAR/GAMA]

Morte do Universo

O modelo cosmológico mais aceito estabelece que toda a energia do Universo foi criada durante o Big Bang, sendo que uma parte foi criada como massa. E as estrelas brilham ao converter massa em energia, tal como descrito na famosa equação de Einstein E=mc2.

"Enquanto a maior parte da energia espalhada pelo Universo surgiu no seguimento do Big Bang, energia adicional está sendo constantemente criada pelas estrelas à medida que estas fusionam elementos como o hidrogênio e o hélio," disse Simon Driver, coordenador do projeto GAMA (Galaxy And Mass Assembly).

"Esta nova energia, ou é absorvida pela poeira à medida que viaja pela sua galáxia hospedeira, ou escapa para o espaço intergaláctico e viaja até atingir alguma coisa, como por exemplo outra estrela, um planeta ou, muito ocasionalmente, um espelho de telescópio," detalha Driver.


Destino do Universo

O fato de o Universo estar em declínio lento é uma ideia defendida desde o final da década de 1990, e este novo esforço observacional ilustra como este processo estaria acontecendo em todos os comprimentos de onda - ainda que muitos astrônomos não concordem com a tese.

A equipe de pesquisadores espera poder expandir este trabalho mapeando a produção de energia ao longo de toda a história do Universo, utilizando para isso uma quantidade de novos observatórios, incluindo o maior radiotelescópio do mundo, o SKA (Square Kilometre Array), que será construído na Austrália e na África do Sul durante a próxima década.

Fonte: Inovação Tecnológica/G1

quarta-feira, 13 de julho de 2016

NASA divulga a primeira foto tirada da sonda Juno, após entrar na órbita de Júpiter


Ainda deve levar algumas semanas para podermos observar as primeiras imagens em alta resolução do planeta Júpiter feitas pela JunoCam, a câmera a bordo da sonda Juno. Mas a Nasa já divulgou uma imagem enviada pela câmera depois que a sonda entrou na órbita de Júpiter no dia 5 de julho. Isso prova que o equipamento está funcionando e foi bem-sucedido em enviar dados à Terra.

A imagem divulgada pela Nasa foi tirada no dia 10 de julho, quando a sonda Juno estava a 4,3 milhões de  km de Júpiter. Na imagem, é possível ver Júpiter e três das quatro luas do planeta.

Após 5 anos de viagem, a sonda Juno entrou na órbita de Júpiter, o maior planeta do sistema solar. 

Com transmissão ao vivo pela internet, a equipe na Nasa comemorou a inserção na magnetosfera à 0h54 do dia 5 de julho.

A sonda se aproximou sobre o pólo-norte do planeta, mostrando uma perspectiva inédita do sistema de Júpiter - incluindo as suas quatro grandes luas.

Esta é a primeira vez que Júpiter será visto abaixo da cobertura densa de nuvens. Por isso o nome Juno, uma homenagem à deusa romana que era esposa de Júpiter.

Lançada em 5 de agosto de 2011, a sonda percorreu 716 milhões de quilômetros - quase 18 mil voltas na Terra - até o planeta.  Se nada der errado, a missão deve ser encerrada em fevereiro de 2018.

Juno tem 3,5 metros de altura e 3,5 metros de diâmetro e é movida a energia solar.

Todo o programa custou US$ 1,13 bilhão. A Juno foi a primeira missão que levou uma nave movida a energia solar comandada a partir da Terra, além de orbitar de pólo a pólo de um planeta. Nenhuma outra sonda chegou, até agora, tão perto da superfície de Júpiter.

Fonte: G1

domingo, 3 de julho de 2016

50 Curiosidades sobre o Universo

► Durante 380 mil anos o Universo era composto exclusivamente de plasma e não existiam elementos como conhecemos, que se formaram só depois.

► O planeta Terra só surgiu quando o Universo já tinha mais de 9 bilhões de anos.

► Nosso Universo possui uma estranha composição: 4% matéria normal, 23% matéria escura e 73% energia escura.

► Segundo os dados atuais, o Universo se expandirá para sempre, até que se torne uma vastidão totalmente escura e fria.

► A Terra pesa 5.980.000.000.000.000.000.000.000 kg (cinco centilhões e novecentos e oitenta quatrilhões)




► O Universo se expande a 1,6 bilhões de km por hora.

► Há 350 milhões de anos a Lua estava a apenas 18 mil quilômetros da terra. Hoje, está a 400 mil quilômetros, e se afasta 3 centímetros a cada ano.

► No início do Planeta Terra, um dia durava apenas 6 horas.

► Cientistas acreditam que a água surgiu na terra através de cristais dentro de meteoros que caíram na terra há cerca de 3,9 bilhões de anos.

► O primeiro grande continente da Terra não foi Pangeia como dizem na escola e nos livros, foi Rodinia, cerca de 700 milhões de anos antes.

► 90% da massa do seu corpo é na verdade poeira estelar, pois todos os elementos exceto o hidrogênio, foram criados nas estrelas.

► A atmosfera do sol é misteriosamente mais quente do que sua superfície.

► Os dias na Lua são escaldantes e as noites extremamente frias. A temperatura varia de -150º C a 120º C.

► Olhando da terra, é possível distinguir 500 mil crateras na Lua.


► Todas as estrelas que você enxerga no céu à noite são maiores e mais fortes que o nosso Sol.



► Em um universo paralelo você é um parafuso.( Pode ser não é)

► Em um outro universo paralelo você é maior que o Sol e menor que um sapo.( Pode ser não é )

► Todos os anos caem cerca de 150 toneladas de meteoritos e fragmentos na Terra. trata-se de uma média de 410kg por dia.




► Uma viagem só de ida para Alpha-Centauri, a estrela mais próxima do Sol, levaria 70.000 anos com a tecnologia atual.

► Se uma estrela está situada a uma distância de 50 anos-luz da Terra, a luz que vemos hoje é aquela que ela emitiu há 50 anos.

► Como a luz da estrela demora para chegar até nós, é possível que muitas estrelas que vemos na Terra não existam mais.

► A famosa mancha vermelha de Júpiter é uma tempestade colossal que já dura 400 anos desde a sua descoberta, mas não sabemos quando apareceu realmente. Detalhe: essa mancha é 2 vezes maior que a terra.

► E a cada minuto, em algum lugar no universo, uma estrela está explodindo e está brilhando mais do que toda uma galáxia.





► O maior vulcão conhecido está, acredite, em marte. Ele foi batizado de Monte Olimpo e é três vezes mais alto que o nosso Monte Everest.


► Hoje, existem cerca de 2.900 satélites em órbita da terra.


► A maior galáxia do Universo conhecida é a IC-1101, com aproximadamente 100 trilhões de estrelas. E a nossa Via láctea é um pixel na imagem acima.

► A Terra já teve um anel, como Saturno. Esse anel era formado de poeira e rochas quentes avermelhadas, mas sumiu dando origem a Lua.

► O Universo observável contem aproximadamente 100 bilhões de galáxias, e cada galáxia contem cerca de 100 bilhões de estrelas, mais ou menos.

► Cientistas já descobriram um pequeno reservatório de Açúcar em uma nuvem de gás e poeira no centro da Via Láctea.


► O Sol possui 99,86% de toda a massa do sistema solar.






► As interferências na televisão quando você coloca em um canal sem sintonia, aquele chiado, 1% dele são os ecos do Big Bang, a radiação de fundo.

► Em Marte, há redemoinhos imensos de poeira todos os dias, que podem chegar a 100 metros de altura.

► A estrela Eta Carinea emite cerca de 3 milhões de vezes mais energia que o Sol.

► O Buraco Negro mais pequeno já descoberto, tem apenas 24km de diâmetro. Não te iluda: na verdade estes micro buracos negros exercem uma força de atração muito mais forte que os grandes, ou seja, quanto mais pequenos, mais devastadores.


►O seu corpo perto de Buraco Negro, se transformaria em um simples fio de espaguete feito de átomos.




► 45% dos americanos não sabem que o Sol é uma estrela.

► As estrelas anãs são tão densas, que uma colher feita desse material pesaria umas 5 toneladas.

► A ultima vez que um meteoro consideravelmente perigoso caiu na terra foi em 15/02/2013, na Russia.

► A maior estrela do universo já conhecida é a estrela Uy Scuti com um raio de 1,2 bilhões de quilômetros. A estrela chegaria a uma orbita próxima a de Saturno!

► Segundo especialistas, o Big Bang não foi uma explosão, e sim uma expansão.

► Energia solar suficiente para abastecer todo o planeta por 18 anos atinge a superfície da terra todos os dias. Mas a gente só da conta da capturar energia suficiente para abastecer a Europa por 12 minutos. 

► Cientistas acreditam que eventualmente ocorrem chuvas de diamante em Netuno.

► Existem mais estrelas no céu do que grãos de areia na terra.


► A luz solar leva 8 minutos e 17 segundo para chegar na terra.





► O lugar mais frio do sistema solar é Tritão, satélite de Netuno, com a temperatura de -240º C.

► O telescópio Hubble é tão potente que consegue fotografar uma mosca a uma distância de 13.700 km.

► Com a tecnologia atual, é possível mandar um homem para Marte, mas impossível trazê-lo de volta.

► As tempestades de Netuno geram fortes ventos que chegam a 2,400 km por hora.

► Titã, um satélite de Saturno, é o planeta conhecido mais semelhando a Terra. Porém, impossível de ser habitado, por que sua atmosfera é principalmente feita de 95% de nitrogênio e 5% de Metano e sua temperatura beira os -180°C.


► Vênus é o Planeta mais quente no sistema Solar, chegando a 500º C.